Dificuldades em enxergar bem podem gerar consequências negativas na vida das crianças. Por isso, os pais precisam ficar atentos aos sinais que alertam para a hora de marcar uma consulta com o oftalmologista.

Atenção especial aos bebês:

Crianças em diferentes idades apresentam diferentes sinais de dificuldades para enxergar, e é superimportante ficar atentos! 

Reflexo branco na pupila

Logo após o nascimento, é preciso observar com atenção a pupila, aquela partezinha preta dos olhos dos bebês. Caso haja algum reflexo branco nessa região, é preciso levar o recém-nascido ao oftalmologista, pois este pode ser um indicativo de alterações na retina.

Olhinhos lacrimejando

Nos primeiros dias de vida, é comum que os bebês tenham algum lacrimejamento nos olhos. Isso acontece por conta do nitrato de prata, usado no Brasil para proteger os recém-nascidos de infecções após o parto, e deve se encerrar em poucos dias.

A primeira visita ao oftalmologista

Assim que a criança começar a se comunicar, já conseguir expressar bem as primeiras palavras e interagir com um adulto, deve ser levada ao oftalmologista para sua primeira consulta. O exame pode ser feito por completo com uma criança nesta fase e ajudará a descobrir se seu filho poderá precisar de óculos.

Antes da escolinha

Se a criança reclama com frequência de dores de cabeça, apresenta dificuldades em jogar videogames e ver desenhos na TV, franzindo a testa, espremendo os olhos e se aproximando demaisda tela, muito provavelmente chegou a hora de fazer um exame oftalmológico. Lacrimejar constantemente, coçar os olhos em excesso, demonstrar sensibilidade à luz também são sintomas que merecem atenção. 

A fase escolar 

O rendimento escolar pode ser um bom termômetro de que seu filho precise usar óculos. É comum interpretar as dificuldades na escola como falta de dedicação ou atenção, mas disfunções visuais não identificadas podem transformar a fase de aprendizado e interação com outras crianças em uma experiência pouco agradável para os pequenos.

Quanto mais cedo a criança é levada ao oftalmologista, mais rápido será detectado e corrigido o problema na visão. O ideal é que a criança em idade escolar consulte o especialista antes mesmo de entrar na escola, e, depois, a cada dois anos caso não tenha nenhuma necessidade de correção visual específica. Se tiver, a consulta com o oftalmologista deve ser anual.

Meu filho precisa de óculos. E agora?

Caso seu filho precise usar óculos, é comum que sinta algum estranhamento no começo, mas a adaptação costuma ser bem rápida. Para ajudar nesse processo, algumas dicas são valiosas:

  • Asarmações devem ser, de preferência, de acrílico ou acetato, por serem mais resistentes e maleáveis.
  • Os óculos também precisam estar bem adaptados ao rosto da criança.
  • Garanta que os óculos não estejam nem soltos demais e nem apertados demais no nariz. 

Lembre-se que que brincar e correr são sinais de uma infância feliz, e os óculos certos vão ser o parceiro ideal para que seu filho enxergue o melhor de cada fase da vida.

imagens via unsplash