Com a chegada das férias escolares, crianças e adolescentes aproveitam o tempo livre de muitas diferentes maneiras. Seja jogando videogame ou até brincando na piscina com os amigos, o período pede uma atenção redobrada dos pais quando o assunto é saúde ocular. 

De acordo com uma pesquisa divulgada em 2018 pela Academia Americana de Oftalmologia, 41% dos acidentes oculares acontecem entre 10 e 14 anos como resultado de brincadeiras com armas de brinquedo, flechas, bastões e bolas. 

Conheça alguns cuidados que devem ser tomados com os pequenos para evitar contratempos: 

DURANTE O TRAJETO PARA O PASSEIO 

É preciso se prevenir também na hora de levar as crianças ao passeio. No carro, os baixinhos devem ser transportados no banco de trás e, se forem menores de 2 anos de idade, na cadeira apropriada. O uso do cinto de segurança é fundamental para a segurança dos pequenos. Acidentes ou freadas bruscas podem provocar a colisão da cabeça, olhos, boca e etc. 

Além disso, procure deixar os vidros entreabertos, de modo que o vento não vá diretamente no rosto das crianças. Além das partículas estranhas e da poluição, que eventualmente podem entrar, o vento diretamente nos olhos pode causar ressecamento, deixando-os irritados e avermelhados.

PLAYGROUND, PISCINA OU PRAIA 

Mesmo com o inverno, dias de verão podem surgir e, com eles, a vontade de ir à piscina ou ao clube. Nesses ambientes, é preciso observar se há areia, uma vez que é natural a criança levar a mão aos olhos. Alertar o pequeno sobre os riscos de contaminação por fezes ou urina de animais é essencial.

Se o plano envolve água, aí a atenção redobra. Com o protetor solar, é necessário observar se, devido ao suor, o líquido não vai cair nos olhos, já que seu contato pode gerar uma queimadura química ocular. O mesmo vale para piscinas com cloro. Nestes casos, óculos de mergulho podem ser a melhor solução para garantir a tranquilidade de toda a família. 

Óculos escuros também são ótimos protetores nesse ambiente. Se a criança já tem coordenação motora para usar o acessório, o cuidado que os pais precisam ter é em escolher um modelo com proteção contra os raios ultravioletas. Os danos provocados pelo sol podem desencadear doenças degenerativas da retina, catarata, entre outras.

EM CASA 

Com o aumento do uso de computadores e videogames nesse período, o ato de piscar é reduzido e, consequentemente, os olhos ficam mais secos. Usar lubrificantes é a melhor opção, mas é necessário que seja recomendado por um especialista, uma vez que tanto o colírio lubrificante quanto a lágrima artificial, se usados erroneamente, contém conservantes que podem prejudicar a visão dos pequenos.