Segundo o Manual de Orientação do projeto Olhar Brasil do Ministério da Saúde (MS) e do Ministério da Educação (MEC), a  “visão é a capacidade que o indivíduo tem de perceber o universo que o cerca”.

Mesmo sendo de extrema importância para a saúde do ser humano e responsável por cerca de 85% das informações processadas no nosso cérebro, dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que atualmente cerca de 285 milhões de pessoas estão visualmente prejudicadas no mundo, sendo que uma média entre 60% a 80% dos casos no Brasil podem ser evitados e tratados.


DEFICIÊNCIA VISUAL NO BRASIL E NO MUNDO

Baseada nas projeções de crescimento da população mundial, que estima-se chegar a 8,6 bilhões até 2030, dados também apresentam um aumento do número de pessoas cegas, que podem alcançar 76 milhões até 2020.

Segundo o estudo “As condições de saúde ocular no Brasil”, divulgado em 2019 pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, a estimativa de pessoas cegas aumentou em 17,6% entre 1990 e 2015. Este crescimento é atribuído a três fatores:

  • Crescimento populacional

  • Envelhecimento da população

  • Redução da prevalência específica da idade

O número de atingidos com deficiência visual moderada e grave também apresentou um aumento, chegando a 216,6 milhões em 2015.

Já no Brasil, de acordo com o IBGE (2019), a população acima de 60 anos deve dobrar no até o ano de 2042. Antes de 2050, os idosos já serão um grupo maior do que a parcela da população com idade entre 40 e 59 anos.

Dentre os desafios que esse crescimento da população idosa traz, está o crescimento de problemas visuais na medida em que a população se torna mais velha.


FATORES DE RISCO PARA DEFICIÊNCIA VISUAL

• IDADE

Mais de 82% de todas as pessoas cegas têm 50 anos de idade ou mais. O grupo, atualmente, representa 19% da população mundial.

Mesmo assim, a cegueira infantil continua a ser uma alta prioridade. Cerca de metade dos estimados 1,4 milhões de casos de cegueira em crianças com menos 15 anos de idade poderia ter sido evitado.


• SEXO

Estudos apontam que as mulheres em todas as regiões do mundo e de todas as idades têm um risco significantemente maior de deficiência visual do que os homens.

• CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS

Cerca de 90% das pessoas com deficiência visual no mundo vivem em países pobres ou em desenvolvimento. Fatores como o uso do tabaco, a exposição à radiação ultravioleta, a deficiência de vitamina A e distúrbios metabólicos, como o diabetes mellitus, estão associados ao aumento do aparecimento de doenças na região.

PRINCIPAIS DOENÇAS OCULARES

Os responsáveis pela maior parte dos atendimentos clínicos feitos no país pelos oftalmologistas, são:


• CATARATA

Podendo levar à diminuição da visão, a doença é responsável por 47,8% dos casos de cegueira no mundo, acometendo principalmente os idosos.Seu diagnóstico é realizado mediante consulta oftalmológica com um tratamento cirúrgico, seguro e eficaz.


• GLAUCOMA

Causado devido uma lesão no nervo ótico, leva à perda progressiva da visão e também está relacionado ao envelhecimento como também ao fator hereditário. Sem cura, seu tratamento é feito através de colírios para diminuir a pressão intraocular, entre outras indicações feitas por especialistas.


• CONJUNTIVITE

Seja ela infecciosa, alérgica ou química, a inflamação da membrana que reveste a parte anterior do olho pode acontecer em qualquer idade e possui sintomas como: vermelhidão, secreção, inchaço das pálpebras e sensação de corpo estranho. Seu diagnóstico é realizado mediante consulta oftalmológica com um tratamento feito com colírios.


• RETINOPATIA DIABÉTICA

Atingindo a retina de pacientes diabéticos, a doença se manifesta através de sintomas como a diminuição da visão quando o nível de glicose está elevado. Além do controle rigoroso da diabetes, o tratamento conta com uma alimentação balanceada, atividades físicas regulares e medicamentos.


• DEGENERAÇÃO MACULAR

Relacionada à idade, ocorre na parte central da retina e leva a perda progressiva da visão central. Evitar fumar, manter uma dieta balanceada com todas as vitaminas e se proteger do sol são essenciais para o seu não surgimento.


• ERROS DE REFRAÇÃO

Conhecidos mais popularmente como Miopia, Astigmatismo, Hipermetropia e Presbiopia, acontecem quando o feixe de luz proveniente de um ambiente externo atravessa o globo ocular e são desviados, não chegando focados na retina com falta de nitidez da visão. Seu tratamento é feito com correções ópticas, sejam elas através do uso de óculos ou lentes de contato.


SAÚDE OCULAR EM CRIANÇAS

De acordo com o Plano de Ação do Programa Visão 2020 para 2014/2019 do IAPB, estima-se que há 1,4 milhão de crianças cegas no mundo. Ainda nesse mesmo relatório, mostrou-se  que 500.000 crianças ficam cegas por ano, uma média assustadora de quase uma por minuto.

Cerca de 40% das causas de cegueira infantil são evitáveis ou tratáveis. As causas de cegueira na infância variam, mas as principais causas evitáveis são:

 Cicatrizes corneanas

• Catarata

• Glaucoma

• Retinopatia da prematuridade

• Erros de refração

• Baixa visão

A identificação precoce é a melhor maneira de acompanhar o desenvolvimento da sua saúde ocular. Por isso, ao nascer, crianças realizam o chamado “Teste do olhinho”.

Rápido e indolor, o exame avalia o reflexo da luz que entra no olho do bebê, sendo capaz de detectar alterações que possam causar problemas como catarata, glaucoma congênito, entre outros.